“Caprese” Mineira

Estamos vivenciando um belo período de crescimento para a cerveja. Marginalizada pela história, principalmente na nossa, ainda rotulamos as puro malte como especiais ou artesanais, quando no final das contas são apenas cerveja.

A “gourmetização” da cerveja desdemocratiza o seu consumo, assim como acontece com o vinho. Visto isso, com esse espaço, tentarei tratar da cerveja como algo especial, mas acessível a todos.

Aqui falaremos de harmonização de cervejas e queijos. Queijo, esse ingrediente divino, produzido de tantas formas, com suas diferentes complexidades, assim como a cerveja, nos trazendo uma gama de possibilidades incrível para uma experiência única ao comer, e beber.

 

Existem 3 tipos de harmonização: semelhança, contraste e corte.

Semelhança: Quando elementos do prato e da cerveja são parecidos.

Contraste: Quando há um complemento. Se tivermos na cerveja uma característica agradável que pode ser potencializada com um ingrediente no prato, temos uma bela harmonização.

Corte: É quando temos elementos mais fortes, ou enjoativos, e precisam de um equilíbrio pra que se mantenha agradável até o final.
Para favorecer a degustação confira algumas das nossas sugestões.

 

“Caprese” Mineira

A salada Caprese é um clássico italiano que consiste em mozarela de búfala, tomate e manjericão. Aqui faremos a nossa com queijo minas padrão, tomate cereja, e salsinha.

 

Ingredientes:

Tomate cereja
Queijo Minas Padrão
Salsinha
Azeite
Sal
Palito de dente

 

Modo de preparo:

Corte o queijo minas em cubos, os tomates cerejas no meio e a salsinha como quiser. Ela pode ser espetada inteira, ou picada e misturada com azeite no queijo.

Salgue o tomate e deixe em uma peneira. O sal desidrata, evitando que o tomate solte suco no prato que será servido. 15 min após, espete os 3 ingredientes.

 

Cervejas para harmonizar
Podemos usar estilos leves e cítricos, acompanhando as características do queijo, o teremos com um sal mediano e certa acidez, o tomate com a sua doçura e a salsinha com o um herbal e perfume quase cítrico. Estilos: WitBier, Pilsen, Saison, Weiss

 

DICA DO CHEF:     
Degustamos o prato, engolimos, e provamos a cerveja em seguida. Observando sempre como tudo se comporta em nossa boca, se perguntando sempre:

-Manteve as melhores características do prato e da cerveja?

-Me deu vontade de comer e beber mais?

-Apareceu algum sabor diferente que isoladamente não apareciam na cerveja e no queijo?

 

Se sim, temos uma ótima harmonização.

 

Cheers!

Compartilhe esse post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *