Personalidade do Queijo: Dona Dalva (Forno de Minas)

 

A mineira Maria Dalva Couto Mendonça, mais conhecida como Dona Dalva, sempre fez sucesso com sua receita caseira de pão de queijo nas fazendas do noroeste de Minas Gerais. Seja entre os amigos, família ou na escola dos filhos, era unânime: todos queriam o pão de queijo de Dona Dalva.

 

Foi assim que começou a história da Forno de Minas Alimentos S/A, tradicional indústria de alimentos congelados e líder de mercado na comercialização de pães de queijo no Brasil que, nasceu do sucesso da receita caseira de pão de queijo da Dona Dalva.

 

Com sede em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, foi fundada em 1990, pela própria Dona Dalva, que divide a gestão com os filhos Hélida e Helder e o sócio Vicente Camiloti.

 

A equipe do Portal do Queijo conversou com Dona Dalva que contou um pouco mais da sua história. Confira:

 

– Conte um pouco sobre a sua relação com a cozinha, principalmente com o pão de queijo.

 

Sempre fui muito prendada não apenas na cozinha, mas também na costura e jardinagem. Sou filha de fazendeiro e casada também com fazendeiro. Sempre fiz doces típicos de Minas Gerais (goiabada, figo em calda, doce de leite, mamão, cidra, etc), biscoitos variados (pão de queijo, broa, roscas, bolos, suspiros, biscoito de polvilho). Fazia também rapadura, melado, polvilho, farinha de mandioca, queijo, manteiga e requeijão. Além da típica cozinha mineira, preparo pratos de diversos países, fazendo sempre cursos de alta gastronomia.

 

– Como iniciou a venda para o mercado? Qual a primeira empresa que revendeu a marca?

 

A empresa Forno de Minas Indústria e Com Ltda, foi criada em Belo Horizonte, dentro de um pequeno shopping com o objetivo de atender o mercado varejista de pão de queijo congelado. O 1º supermercado a revender o nosso pão de queijo foi o Carrefour do BH shopping.

 

– Quais foram os maiores desafios enfrentados para fazer da Forno de Minas uma empresa reconhecida?

Conquistar a confiança das donas de casa mineiras com um produto inovador:  um produto tipicamente mineiro que vai direto do freezer para o forno. Outro desafio foi o de desenvolver fornecedores que pudessem acompanhar o crescimento da empresa tanto em qualidade, quanto em  volume e preço.

 

– Quantos pães de queijo em média eram fabricados por dia/ou mês no início da fábrica? Quais são esses números atualmente?

 

A produção inicial foi de 40 Kg/ dia, depois 90 Kg/dia, até chegar em média 300Kg/dia, aumentando progressivamente, com um turno. Atualmente a produção da Forno de Minas é de aproximadamente 2 mil toneladas  por mês.

 

– Os queijos são adquiridos de algum produtor ou são fabricados diretamente na Forno de Minas? 

 

Os queijos utilizados nas receitas de nossos produtos são produzidos no laticínios Forno de Minas, em Conceição do Pará, a 120 Km de Belo Horizonte. Além dos queijos, produzimos também ricota, muçarela, creme de leite, requeijão, dentre outros.

 

– Na sua opinião, qual a principal característica de um bom pão de queijo e de produtos de qualidade?

 

Para um bom pão de queijo ou qualquer outro produto, é muito importante a qualidade da matéria-prima, o processo e a mão de obra bem treinada. Um está diretamente ligado ao outro.

 

– Em 1999 a Forno de Minas foi vendida para a multinacional Pillsbury, que encerrou suas atividades dez anos depois. Em seguida vocês readquiriram a fábrica e recontrataram os funcionários. Isso demonstrou valorização por eles. Qual é a dica da Forno de Minas para produtores de queijo no relacionamento com os funcionários/equipe?

 

As pessoas são os principais responsáveis pelo sucesso ou fracasso de uma empresa. Não basta ter excelente matéria prima, equipamento, marketing, se as pessoas não estiverem engajadas e preparadas.

 

– Quais são as expectativas da Forno de Minas para os próximos anos? 

 

Expandir a venda de alimentos para consumo fora do lar (food service), ampliar o mix de produtos e exportação.

 

– Hoje na gestão da empresa estão seus filhos, já existem membros da terceira geração atuando na empresa ou com possível atuação?

 

Não. O processo de sucessão está sendo realizado internamente com treinamento para formação das lideranças.

 

Uma história de conquistas e recomeço! Conhecer a história da Forno de Minas é especial. Você conhece alguma personalidade que merece destaque aqui no Portal? Conta pra gente! Ela pode sair por aqui.

Até a próxima.

Foto: Carol Reis

Compartilhe esse post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *