EPAMIG ILCT apresenta tecnologias para a produção de lácteos

Lorenza Coelho Eventos, Gastronomia, Novidades para Queijólatras 1 Comment

A 13ª edição da Agriminas começou nesta última quarta-feira, 7 de agosto, e vai até o próximo domingo (11), no Expominas, em Belo Horizonte. Quem passar pela feira terá a oportunidade de conhecer a miniusina de laticínios “Via Láctea” coordenada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais/ Instituto de Laticínios Cândido Tostes (EPAMIG ILCT). Serão apresentados os processos de produção de leite e derivados e inovações tecnológicas para o setor lácteo.

O objetivo do projeto é demonstrar a experiência de produção  desde a chegada do leite, até os processos de pasteurização, fabricação de queijo frescal de diversos sabores, iogurte, bebida láctea, leite aromatizado e dicas sobre como agregar qualidade aos produtos. Durante o tempo de espera entre o preparo dos produtos, as dúvidas dos visitantes serão respondidas pelo professor Luis Carlos Ferreira e pelo mestre queijeiro Francisco Fávero.

“Vamos estar presentes durante todos os dias do evento para mostrar que é possível produzir derivados do leite sem investimentos altos e em um espaço reduzido, dentro dos padrões de higiene e qualidade, sendo possível agregar valor à produção leiteira e oferecer melhor qualidade de vida ao homem do campo”

 

explica a coordenadora do projeto Via Láctea e técnica da EPAMIG ILCT, Luiza Albuquerque. Haverá ainda a distribuição de materiais didáticos sobre queijos artesanais e práticas de fabricação.

 

 

A EPAMIG é vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

A Agriminas é promovida pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg).

A entrada no evento custa R$8. Mais informações http://agriminas.feira.br/

 

Fonte: Epamig

Fotos: Erasmo Pereira

Sobre Lorenza Coelho

Lorenza CoelhoLorenza Coelho é jornalista com mais de 20 anos de mercado. Nascida em Congonhas/MG, teve o queijo mineiro como ingrediente de sua infância. Gosta de apreciar o queijo por onde passa e, principalmente, conhecer as características de fabricação, os produtores que estão por trás desse lindo ofício. Graças à sua expertise em comunicação e com "a faca e o queijo na mão" decidiu criar um site para falar sobre o assunto. Atualmente, escreve sobre o tema para a revista Cerveja de Todos os Jeitos, do Clube do Malte.

Compartilhe esse post

Comments 1

  1. Avatar

    Bastante informativo seu portal dos queijos, parabéns! Gostaria de sugerir que fossem incluídos os queijos vegetais ou veganos. Há muitas tentativas de queijos veganos que se tornam mais cremes, mas há também verdadeiros queijos vegetais que passam pelo processo de fermentação e coalha, e este mercado é uma das maiores tendências de crescimento para os próximos anos. Sem contar que é um queijo que não tem o mesmo sofrimento que está incluído na cadeia de produção do queijo de leite animal. E acredite, tem muitos queijos deliciosos que são vegs! Há pelo menos dois queijos industrializados que tem sido comercializados em maior escala que são o Queijoquinha, da Natural Science, e os queijos veganos, da Superbom. São os que recomendo. Mas há muitos queijos veganos artesanais surgindo, um verdadeiro boom, muitos produtores artesanais e algumas marcas se lançando no supermercados.

    Amor e paz.
    Agradecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *