foto

Professor de Veterinária do UniBH apresenta tese que contribuiu para a Regulamentação para os Queijos Artesanais da Serra do Salitre/MG

Osvaldo Filho Consumidor, Notícias 3 Comments

Nova regulamentação publicada pelo governo mineiro autoriza processo de maturação do queijo de 60 para 14 dias

Projeto de doutorado do professor das disciplinas de Tecnologia e Inspeção de Produtos de Origem Animal do curso de Medicina Veterinária da UniBH e da UNA de Bom Despacho, Felipe Machado de Sant’Anna, deu embasamento para a Nova Regulamentação para os Queijos Artesanais de Minas Gerais da região da Serra do Salitre, publicada no Diário do Executivo, no dia  8 de abril de 2021.

A Portaria nº. 2051 de 07 de abril de 2021, regulamenta o período de maturação do Queijo Minas Artesanal (QMA) produzido nas microrregiões do Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro, de 60 para 14 dias.

De acordo com a Instrução Normativa nº 30, de 7 de agosto de 2013, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, os queijos elaborados artesanalmente com leite cru podem ser comercializados a partir de 60 dias de maturação ou desde que estudos técnico-científicos comprovam que a redução do período não comprometa a qualidade e a inocuidade do produto.

nova regulamentação que diminuiu o período de maturação foi apresentada, no próprio dia 8, por meio de videoconferência pelo canal do Youtube, pelo Governador de Minas Gerais, Romeu Zema, com a participação da Ministra de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, juntamente com a Secretária de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Valentini.

Pesquisa durou quatro anos

Uma das contribuições para esse novo período de maturação tem como embasamento o projeto de Doutorado do professor Felipe, que foi desenvolvido no Departamento de Tecnologia e Inspeção de Produtos de Origem Animal da Escola de Veterinária da UFMG, sob a orientação do professor Marcelo Resende de Souza e cuja tese foi defendida em fevereiro de 219.

Sant’ Anna conta que o grupo de pesquisa vem pesquisando sobre o Queijo Minas Artesanal (QMA) de diversas regiões do estado há muitos anos e o estudo da região ocorreu durante quatro anos.

Segundo ele, para os queijos (QMA), 60 dias de maturação era um período muito longo, o que acabava descaracterizando o produto final, sendo esse um dos motivos pelo qual pesquisaram o período mínimo ideal.  “A partir daí desenvolvi meu projeto de Doutorado, que se intitula ‘Microbioma dos queijos Minas artesanal da região da Serra do Salitre, ao longo do período de maturação’ onde conseguimos detectar e aprovar o período mínimo de maturação de 14 dias, sem ônus para o produto, conta Felipe Sant’Anna.

Uma parte do projeto foi desenvolvido em parceria com os membros da Universidade de Medicina Veterinária de Viena, na Áustria.

Sobre o curso de Veterinária do UniBH

O curso de Medicina Veterinária do UniBH, é considerado um dos melhores de Minas Gerais entre as instituições particulares. Isso porque prepara os alunos para os principais desafios da profissão, como a identificação de problemas nas áreas de saúde animal, saúde pública, saneamento ambiental, produção de alimentos de origem animal e gestão do agronegócio.

O aluno possui acesso a diversos programas como o Programa de Atividade Vivencial que permite a sua vivência nos Laboratórios e na rotina do Hospital Veterinário a partir do primeiro período.

Com corpo docente 100% formado por mestres ou doutores, os estudantes recebem sólida formação e podem colocar o conhecimento em prática no Laboratório de Anatomia do Sistema Musculoesquelético e no Laboratório dos Sistemas Vitais.

“Compartilhe

Comments 3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *